[ editar artigo]

Aplicando o Optimal

Aplicando o Optimal

Tenho como prática clínica inicial uma abordagem intensiva. As estratégias terapêuticas são combinadas e personalizada de acordo com a singularidade de cada um. Durante a primeira semana faço uma sessão diária com Hipnoterapia combinada com Gold Standart EFT.

Recentemente incluí o Optimal regularmente, que aplico no final de cada sessão, durante 5 a 10 minutos. Agora apresento um caso em que utilizei este procedimento. Para proteção da identidade da pessoa os dados de identificação são fictícios.

Maria tem 33 anos e mede 1,45m de altura. É filha única, foi educada de forma restritiva e exigente, e na base da troca. Nos estudos sempre se destacou pelas melhores notas. Tudo que gostava e queria, dependia do seu desempenho. É bem-sucedida profissionalmente, independente, vive sozinha, adora yoga, dançar e viajar.

Maria apresentou as seguintes queixas: baixa autoestima, sentimento de inferioridade e ser diferente em relação aos outros em razão da sua estatura. Insônia constante e não relaxa. Sente-se insegura, ansiosa, ingênua, não amada, com pensamentos horríveis.

Considera-se com uma inteligência acima da média, embora intimamente não se sente merecedora do que tem conquistado. Relata ter medo de falhar, que lhe apontem o dedo, de ficar sozinha e de repetir o velho padrão no relacionamento que está iniciando. Sente-se insatisfeita e que a vida é vazia.

No trabalho faz tudo além do combinado para garantir a excelência nos seus resultados. Necessita provar constantemente que é melhor. Esforça-se para agradar e espera a aprovação dos outros.

Nos relacionamentos amorosos construía relações de extrema dependência e submissão. As suas escolhas foram pessoas exigentes, ausentes e que a rejeitavam. Teme repetir o padrão e sente vergonha por isso.

Maria diz que o motivo de pedir ajuda é porque deseja ser saudável na nova relação amorosa. Busca sentir-se igual aos outros (nem mais, nem menos) e quer acabar com o sentimento de inferioridade. Também quer continuar um processo psicoterapêutico que foi interrompido por mudança de trabalho e de país.

Segue o feedback de Maria que recebi nas sessões de continuidade realizadas após a etapa intensiva:

Primeira semana - “Está acontecendo algo maravilhoso. Este fim-de-semana foi muito bom e diferente, sinto algo que não sei explicar. A ansiedade sumiu, sinto-me igual a todo mundo – nem mais nem menos – estou serena, calma e tranquila. Estou sentindo o que sempre desejei sentir. Estou muito bem. Algo inesperado. Nunca imaginei que pudesse sentir o que sinto. Hoje quando passei em frente ao local de onde desejo trabalhar, me vi lá daqui a 3 anos. Mas de um forma diferente, igual a toda gente. Integrada. ”

Segunda semana - “Continuo bem. Senti um pouquinho de ansiedade com oscilações bem leves, fiz o exercício de EFT e passou. Continuo como na semana passada, igual a todo mundo (riso). Comecei a perceber que sinto mais amor por mim. Vi o quanto me desvalorizei estes últimos anos. Tenho dormido muito bem.

Às vezes, “me pego” com o Joaquim, me posiciono e não sinto mais aquela necessidade de conferir se ele gosta ou não de mim. É muito bom. Quero cultivar isso. Durante muitos anos controlei tudo no meu trabalho e a nível pessoal nada. Agora me assusto um bocadinho com este jeito diferente que estou. Eu me sinto Eu mesma e não quero mais me afastar de mim”.

Quero ressaltar que os resultados de Maria são diferenciados em relação aos demais, devido ao fato dela ter alcançado resultados profundos, num tempo bem mais reduzido em relação aos meus casos anteriores ao Optimal.

Comunidade EFT Oficial
Ler matéria completa
Indicados para você