{{ warning.message }} Ver detalhes
Post
Link
Pergunta
EFT - Sessão começou por dor na lombar chegou em violência sexual
[editar artigo]

EFT - Sessão começou por dor na lombar chegou em violência sexual

Aconteceu há mais de 7 anos, mas levo na memória como um grande aprendizado.

Fui atender uma pessoa em sua casa que tinha ouvido falar em EFT e resolveu tentar, mais uma técnica de dezenas que não deram certo, que pudesse ajudá-la com sua dor na lombar. 

Uma mulher muito alegre, comunicativa e inteligente. Antes de começarmos a sessão ri muito com ela, pois apesar de quase não conseguir sentar sozinha de tanta dor na lombar, tentava colocar humor em tudo que fazia. 

Disse não lembrar quando a dor começou , mas sempre fez parte de sua vida.

Expliquei um pouco das bases do EFT e a ciência por trás da mesma. Comecei pela dor lombra em primeiro lugar, já imaginando que em algum momento iria focar na emoção ligada à mesma. 

Quando batemos na mão as características eram: Dor lombar, dor que queimava de intensidade 9. No momento que fomos bater no ponto da cabeça, esta mulher mudou. Foi como um tsunami de lágrimas. O choro vinha com uma intensidade imensa e incontrolável.

Neste momento senti a necessidade de dize-lhe algo que não tinha nada a ver com sua dor nas costas.

Deixo claro que sempre que sinto esta necessidade não a bloqueio, por mais estranho e inconveniente que possa parecer para minha racionalidade. Quando trabalhamos com EFT corretamente entendemos que somos condutores de uma força maior que está agindo por nosso intermédio. Não cabe a nós julgar e muito menos bloquear esta manifestação. 

Peço permissão para a pessoa para lhe dizer algo e caso não concorde que me desculpe. Senti a necessidade de lhe fazer a seguinte pergunta:

"Você já sofreu alguma violência sexual?" Ela me respondeu que sim, na sua adolescência. 

Pedi que parássemos de trabalhar a dor nas costas e nos concentrássemos no evento em si. Ela prontamente concordou, pois estava tão ou mais surpresa do que eu.

Trabalhamos profundamente o evento e como resultado sua dor crônica desapareceu. Me comunico com ela até os dias de hoje e permanece sem a dor que a acompanhava há tantos anos.

O que o Gary explica é que podem ter algumas razões para a dor lombar. No momento da violência ela pode ter se apoiado na lombar e transferiu a sensação para lá ou seu subconsciente pensou : "preciso sobreviver à isto então jogarei esta dor para minha lombar".

O que aprendi nesta sessão foi que ser um instrumento do EFT demanda responsabilidade, muito aprendizado e amor pelo que fazemos. As surpresas positivas sempre serão nosso presente de recompensa.

 

 

Margareth Signorelli

Gold Standard EFT Terapeuta Coach de Relacionamento Coach Executiva, Life Coach de Relacionamento Conjugal

Fique informado sobre as novidades da comunidade
Cadastre-se aqui
Gostou desse artigo? Escreva o seu também!
Nova publicação

Artigos relacionados

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar