[ editar artigo]

Pergunta sobre não acesso às emoções

Pergunta sobre não acesso às emoções

Sonia, quando uma pessoa não consegue acessar as emoções ligadas a uma determinada questão a trabalhar, o Gary indicou orientá-la a fazer uma história. É isso? Eu digo para ela criar uma história?

Eu respondendo: Recebi esta pergunta de uma aluna no curso (não pedi permissão para publicar o seu nome), e estou respondendo aqui porque quero que o maior número de pessoas passe a tirar suas dúvidas em relação ao Gold e Optimal, aqui na comunidade.

Quando uma questão a ser trabalhada se apresenta apenas no nível comportamental, por exemplo, procrastinação, hábito de beber ou de fumar, etc, ou seja, o paciente formula a questão de um ponto de vista de fora para dentro... Fala de algo visível, se você pensar num vídeo voce pode ver ele adiando as tarefas, ver ele bebendo ou fumando, temos que ultrapassar este nível para trabalhar com EFT.

O EFT não é um método cognitivo que você trabalhe comportamentos e mude comportamentos diretamente. O EFT precisa que a questão objetiva (comportamental, visível) se apresente do ponto de vista do que a pessoa sente.

Uma pessoa que se diz, sou um procrastinador, quero mudar isso, você precisará descobrir como ela vive esta procrastinação: o que ela sente que a faz adiar as tarefas, como ela se vê, que pensamentos e crenças envolvem este comportamento, o que vivia e sentia quando ele se instalou. Ou seja, a dimensão subjetiva faz parte da definição da questão a ser trabalhada.

Para responder melhor esta pergunta eu precisaria que a aluna especificasse exatamente o que o paciente coloca como sua questão, e como ele vive este não sentir emoção.

Muitas vezes pode acontecer que a emoção não é clara, ela vem mascarada em crenças que envolvem a questão, e há culpas, há sentimentos de inferioridade,  por exemplo, atrelados às crenças.

Sempre pesquisando a subjetividade do paciente, como ela aparece no verbal, no físico, no movimento, nas expressividade corporais e faciais que vamos nos inteirando dos sentimentos e das emoções. 

Você pergunta se é para criar uma história quando não acessa emoções ligadas a uma questão. Criamos uma história quando o paciente sabe o que sente, mas não se lembra dos eventos específicos que originaram as emoções que sente.

Aí usamos a possibilidade de criar uma ficção que envolva as emoções que sente, para percebermos como elas se originaram. Porque como o autor da narrativa será ele, e sempre uma narrativa de um evento é de alguma forma já distorcida pela memória, criar uma ficção não é grave.

Por exemplo, uma pessoa que tem vergonha de falar em público e não se lembra de um evento que teria originado, mas lembra que tinha um pouco de medo de sua mãe, pode criar um evento onde narra como sua mãe teria sido crítica a ele numa determinada ocasião e assim desfazer os registros de humilhação e vergonha que sentiu em algum momento de sua infância.

 Se uma pessoa vem pedir ajuda, e não sente nada, quer mudar um comportamento e está com o emocional totalmente travado, e tampouco se lembra de alguns eventos que podem estar relacionados com este comportamento, e nem de emoções envolvidas em algum evento, temos sim uma pessoa muito mental, sem conexão com seu emocional, com um corte entre sua cabeça e seu corpo.

Isso já vai dar muitas pistas sobre as raízes desta desconexão, de porque ela se instalou. Posso explicar isso num outro post. Apenas para dar uma luz, há seguramente muita emoção reprimida neste caso. E há graves violências éticas na história desta pessoa, que teve que reprimir sua vitalidade para poder sobreviver na família ou na escola ,etc. 

Se o terapeuta tem o recurso do Optimal pode usar a técnica do Guidance Channel para obter através de associaçoes livres com a ajuda o Terapeuta Interior, indicadores de momentos em que desconectar das emoções foram expedientes necessários para a sobrevivência da pessoa em determinado ambiente.

Mas mesmo sem o Optimal, ganhando a confiança do paciente, utilizando recursos respiratórios,, um tapping para possíveis emoções provavelmente vividas em momentos mais difíceis da vida, sobretudo infantil, vão abrindo portas para sentimentos e emoções se manifestarem.

O Procedimento da Paz Pessoal também pode trazer elementos emocionais esquecidos. Enfim , há muitos caminhos! Espero que tenha dado algumas dicas para terapeuta que me fez esta pergunta!



TODAS AS INFORMAÇÕES SOBRE OS CONTEÚDOS E PREÇOS DOS NOSSOS CURSOS ESTÃO AQUI 

 

Comunidade EFT Oficial
Sonia Novinsky
Sonia Novinsky Seguir

Psicoterapeuta . Diretora do Centro Gary Craig de Treinamento em EFT Oficial no Brasil. Atendimento on line e presencial. Supervisão em grupo para EFT Oficial ( tapping e Optimal). Práticas grupais de EFT. Contatos pelo whats: 11999941415

Ler matéria completa
Indicados para você